Em 2012, Hulk, que jogava pelo FC Porto, silenciou os fãs do Benfica que entoavam cânticos racistas dirigidos a ele, de forma soberba, com um autêntico tiro que entrou na baliza a mais de 100 kms/h.

GRÁTIS, S/ DEPÓSITO ⤵️
100 JOGADAS GRÁTIS
BÓNUS REGISTO
5,0 rating
5.0
Aplicam-se Termos e Condições
Consultar os termos e condições no site da marca.

Nos momentos iniciais de um jogo da Primeira Liga, Hulk começou a ouvir barulhos dos adeptos que decidiram imitar os sons emitidos pelos macacos assim que o jogador tocava na bola. E em pleno Estádio da Luz, ele fez justiça.

A certo ponto, Hulk recebeu a bola no flanco direito e depois de cortar para o meio, o brasileiro marcou um verdadeiro golaço no canto superior, não dando quaisquer hipóteses de defesa.

Artur Moraes não conseguiu defender, mas tem uma razão válida: é que o remate atingiu a velocidade de 108kms/h – um dos remates mais absurdos da história do futebol.

Hulk celebrou com os seus companheiros de equipa e os adeptos da equipa casa… calaram-se.

Hulk inaugurou o marcador e o Porto acabou por vencer 3-2, com o defesa Maicon a marcar um cabeceamento tardio aos 87 minutos para selar o resultado.

Depois de se mudar para Zenit, Hulk disse ter sentido racismo em “quase todos os jogos”.

Ele falou ao The Guardian:

“Devo dizer que em quase todos os jogos vejo isto a acontecer. Eu costumava zangar-me, mas agora vejo que isso não ajuda, por isso mando apenas um beijo aos nossos fãs e tento não ficar muito irritado”.

Tendo deixado o Shanghai SIPG, o jogador de 34 anos voltou recentemente ao Brasil com o Atlético Mineiro e mostrou a sua força absurda na sua estreia ao fazer um adversário voar com uma carga de ombro…

Lembram-se do Hulk?

INFORMAÇÃO DESPORTIVA
© Copyright 2020 desporto365.com | Contacto: fdm.mediapt[at]gmail.com | Política de Privacidade