Recordes e curiosidades sobre mundiais de futebol

O Mundial 2018 começa esta quinta-feira na Rússia, mas antes desta edição foram disputadas outras 20. Confira alguns recordes e curiosidades em números da história dos Mundiais de futebol:

Recordes de países e de campeonatos:

Mais títulos: 5 – Brasil (1958, 1962, 1970, 1994, 2002).Mais títulos consecutivos: 2 – Itália (1934, 1938) e Brasil (1958, 1962).Mais participações: 20 – Brasil.Mais finais: 8 – Alemanha/RFA (1954, 1966, 1974, 1982, 1986, 1990, 2002, 2014).Mais finais consecutivas: 3 – Brasil (1994, 1998 e 2002) e RFA (1982, 1986, 1990).Mais vezes nos dois primeiros: 8 – Alemanha/RFA (1954, 1966, 1974, 1982, 1986, 1990, 2002, 2014).Mais vezes vice-campeão: 4 – Alemanha/RFA (1966, 1982, 1986, 2002).Mais vezes vice-campeão (sem qualquer título): 3 – Holanda (1974, 1978, 2010).Mais vezes terceiro: 4 – Alemanha/RFA (1934, 1970, 2006, 2010).Mais vezes no pódio: 12 – Alemanha/RFA (1934, 1954, 1966, 1970, 1974, 1982, 1986, 1990, 2002, 2006, 2010, 2014).Mais vezes quarto: 3 – Uruguai (1954, 1970, 2010).Mais vezes no ‘top 4’: 13 – Alemanha/RFA (1934, 1954, 1958, 1966, 1970, 1974, 1982, 1986, 1990, 2002, 2006, 2010, 2014).Mais vezes no ‘top 4’ sem título: 5 – Holanda (1974, 1978, 1998, 2010, 2014).Mais vezes no ‘top 8’: 17 – Brasil (1930, 1938, 1950, 1954, 1958, 1962, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014) e Alemanha/RFA (1934, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014).Mais vezes consecutivas no ‘top 8’: 16 – Alemanha/RFA (1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014).Melhor classificação sem qualquer vitória: 8 – República da Irlanda (1990).Mais presenças sem título: 15 – México (1930, 1950, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1978, 1986, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014).

   

Mais presenças sem chegar ao ‘top 16’: 3 – África do Sul (1998, 2002 e 2010).Maior tempo entre títulos: 44 – Itália (1938 e 1982).Maior tempo entre presenças na final e no pódio: 48 – Argentina (1930 e 1978).Maior tempo entre presenças no ‘top 4’: 60 – Espanha (1950 e 2010).Maior tempo entre presenças no ‘top 8’: 72 – Estados Unidos (1930 e 2002).Maior tempo entre presenças na fase final: 56 – Egito (1930 e 1930) e Noruega (1938 e 1994).Mais jogos disputados: 106 – Alemanha/RFA.Menos jogos disputados: 1 – Antilhas Holandesas.Mais vitórias: 70 – Brasil.Mais empates: 21 – Itália.Mais derrotas: 25 – México.Mais vitórias consecutivas: 11 – Brasil (sete em 2002 e quatro em 2006).Mais vitórias numa edição: 7 – Brasil (2002).Mais vitórias numa edição sem conseguir o título: 6 – Holanda (2010).Menos vitórias de um campeão: 3 – Uruguai (1950).Mais jogos sem vencer de um campeão: 3 – Itália (1982).Mais jogos consecutivos sem perder: 13 – Brasil (seis em 1958, seis em 1962 e um em 1966).Mais empates consecutivos: 5 – Bélgica (três em 1998 e dois em 2002).Mais empates consecutivos na mesma edição: 4 – República da Irlanda (1990).Mais jogos consecutivos sem empate: 16 – Portugal (seis em 1966, três em 1986, três em 2002 e quatro em 2006).Mais derrotas consecutivas: 9 – México (três em 1930, três em 1950, duas em 1954 e uma 1958).Mais jogos consecutivos sem ganhar e mais jogos consecutivos sem ganhar desde a estreia: 17 – Bulgária (três em 1962, três em 1966, três em 1970, três em 1974, quatro em 1986 e um em 1994).Mais jogos sem qualquer vitória ou empate: 6 – El Salvador (1970 e 1982).Mais jogos sem qualquer vitória: 6 – Bolívia (1930 e 1950), El Salvador (1970 e 1982), Honduras (1982 e 2010) e Nova Zelândia (1982 e 2010).Mais presenças sem derrotas: 7 – Brasil (1958, 1962, 1970, 1978, 1986, 1994 e 2002).Mais vezes afastado de discutir o título sem perder um jogo: 3 – Inglaterra (1982, 1990 e 2006).Mais vezes afastado sem qualquer vitória: 6 – México (1930, 1950, 1954, 1958, 1966 e 1978) e Bulgária (1962, 1966, 1970, 1974, 1986 e 1998).Mais golos marcados: 224 – RFA/Alemanha.Melhor média de golos marcados: 2,72 – Hungria (87 em 32 jogos).Mais golos sofridos: 121 – Alemanha/RFA.Menos golos sofridos: 2 – Angola (2006).Melhor média de golos sofridos: 0,67 – Angola (2 em 3 jogos).Pior média de golos sofridos: 6,0 – Antilhas Holandesas (6 num jogo).Maior diferença de golos: 119 – Brasil (221-102).Menos golos marcados: 0 – Antilhas Holandesas (1938), Zaire (1974), Canadá (1986), China (2002) e Trindade e Tobago (2006).Mais golos num jogo por uma equipa: 10 – Hungria (10-1 a El Salvador, em 1982).Maiores goleadas: 9 – Hungria-El Salvador, 10-1 (1982), Hungria-Coreia do Sul, 9-0 (1954) e Jugoslávia-Zaire, 9-0 (1974).Maior recuperação: 3 – Áustria (0-3 para 7-5 com a Suíça, em 1954) e Portugal (0-3 para 5-3 com a Coreia do Norte, em 1966).Mais golos num jogo: 12 – Áustria-Suíça, 7-5 (1954).Mais golos numa final: 7 – Brasil-Suécia, 5-2 (1958).Mais golos numa final por uma das equipas: 5 – Brasil-Suécia, 5-2 (1958).Maior recuperação numa final: 2 – RFA (0-2 para 3-2 com a Hungria, em 1954).Mais golos marcados numa edição: 27 – Hungria (1954).Melhor média de golos marcados numa edição: 5,4 – Hungria (27 em 5 jogos).Mais golos de um campeão: 25 – RFA (1954).Menos golos de um campeão: 8 – Espanha (2010).Pior média de golos marcados de um campeão: 1,14 – Espanha (2010).Menos golos sofridos de um campeão: 2 – França (1998), Itália (2006) e Espanha (2010).Mais golos sofridos de um campeão: 14 – RFA (1954)Menos golos sofridos numa edição: 0 – Suíça (2006).Mais golos sofridos numa edição: 16 – Coreia do Sul (1954).Maior diferença entre golos marcados e sofridos numa edição: +17 Hungria (27-10 em 1954).Pior diferença entre golos marcados e sofridos numa edição: -16 Coreia do Sul (0-16 em 1954).Maior diferença entre golos marcados e sofridos de um campeão: +14 Brasil (18-4 em 2002) e Alemanha (18-4 em 2014).Mais jogos consecutivos a marcar: 18 – Brasil (1930 a 1958) e RFA/Alemanha (1934 a 1958 e 1986 a 1998).Mais jogos consecutivos a marcar pelo menos dois golos: 11 – Uruguai (1930 a 1954).Mais jogos consecutivos sem sofrer: 5 – Itália (1990).Primeiro jogo sem golos: Brasil-Inglaterra (1958).Mais minutos sem sofrer golos: 517 – Itália (1990).Maior número de golos numa edição: 171 – 1998 e 2014.Menor número de golos numa edição: 70 – 1930 e 1934.Maior média de golos numa edição: 5,38 – 1954 (140 golos em 26 jogos).Pior média de golos numa edição: 2,21 – 1990 (115 golos em 52 jogos).Maior número de grandes penalidades assinaladas num jogo: 3 – Inglaterra-Camarões, 3-2 (1990).Maior número de jogos entre duas seleções: 7 – Brasil-Suécia (1938, 1950, 1958, 1978, 1990, 2×1994) e Alemanha/RFA-Jugoslávia/Sérvia (1954, 1958, 1962, 1974, 1990, 1998, 2010).Maior média de espetadores: 68.991 – 1994 (3,587.538 espetadores em 52 jogos).Pior média de espetadores: 23.235 – 1930 (395.000 espetadores em 17 jogos).Jogo com maior assistência: 173.850 – Uruguai-Brasil (1950).Jogo com menor assistência: 800 – Estados Unidos-Paraguai (1930).Países que mais vezes organizaram a prova: 2 – México (1970, 1986), Itália (1934, 1990), França (1938, 1998), RFA/Alemanha (1974, 2006) e Brasil (1950, 2014).Países que organizaram a prova em conjunto: 1 – Coreia do Sul e Japão (2002).Edição com mais estreantes: 10 – 1934 (Áustria, Egito, Espanha, Alemanha, Hungria, Itália, Holanda, Suíça, Suécia e Checoslováquia).Edição com mais estreantes desde 1938: 6 – 2006 (Angola, Costa do Marfim, Gana, Togo, Trindade e Tobago e Ucrânia).Edições com menos estreantes: 1 – 1950 (Inglaterra), 2010 (Eslováquia) e 2014 (Bósnia-Herzegovina).Maior número de estádios utilizados numa fase final: 20 – 2002 (10 na Coreia do Sul e 10 no Japão).Maior número de estádios utilizados numa fase final (num só país): 17 (Espanha, 1982).Jogo disputado sob temperatura mais alta: 52 graus – RFA-Inglaterra (1970).Jogos com prolongamento: 63.Primeiro jogo com prolongamento: Áustria-França (3-2 em 1934).Primeira final com prolongamento: Itália-Checoslováquia (2-1 em 1934).Finais decididas no prolongamento: 5 – 1934, 1966, 1978, 2010 e 2014.Jogos decididos no prolongamento: 37.Jogos decididos nas grandes penalidades: 26.Primeiro jogo decidido com grandes penalidades: RFA-Itália (3-3 após prolongamento, 5-4 nas grandes penalidades, em 1982).Primeira final decidida nas grandes penalidades: Brasil-Itália (0-0 após prolongamento, 3-2 nas grandes penalidades, em 1994).Finais decididas nas grandes penalidades: 2 – 1982 e 2006.

Este artigo foi publicado originalmente no SAPO Desporto


 

 

Ronaldo 'manda' em todos os 'rankings' de portugueses no Mundial… menos nos golos

Mundial2018: Rescisão de Lopetegui deveu-se a desconhecimento do acordo com o Real Madrid