Pinto da Costa: "Futebol está refém de um sem número de procedimentos irregulares"

O FC Porto – Futebol, SAD encerrou o exercício da época de 2017/18 com prejuízo de 28,4 milhões de euros (ME), menos 6,8 ME do que no ano anterior, segundo as contas consolidadas hoje divulgadas.

Numa mensagem enviada aos acionistas da SAD do FC Porto e publicada neste documento, Pinto da Costa disse que o futebol português está “refém de um sem número de procedimentos irregulares e antidesportivos”.

“A época 2017/18 assinalou o resgate do título nacional, numa temporada de grande sucesso, que se mediu pela cumplicidade desde o início da temporada entre a equipa e os adeptos. Para o sucesso da equipa foi fundamental o trabalho e a dedicação de todos os setores do futebol profissional e até de outras áreas da sociedade que mostraram um FC Porto capaz de lutar contra o valor dos nossos adversários e contra outras forças pouco recomendáveis mas inegavelmente poderosas”, surge escrito.

Confira o texto na íntegra:

“Mensagem do Presidente

A época 2017/18 assinalou o resgate do título nacional, numa temporada de grande sucesso, que se mediu pela cumplicidade desde o início da temporada entre a equipa e os adeptos. Para o sucesso da equipa foi fundamental o trabalho e a dedicação de todos os setores do futebol profissional e até de outras áreas da sociedade que mostraram um FC Porto capaz de lutar contra o valor dos nossos adversários e contra outras forças pouco recomendáveis mas inegavelmente poderosas.

A conquista do campeonato revestiu-se ainda de maior importância porque a época 2017/18 foi aquela em que ficou evidente que o futebol português está refém de um sem número de procedimentos irregulares e antidesportivos. Como sempre foi minha convicção, o nosso plantel é constituído por jogadores de grande qualidade e se nas épocas imediatamente anteriores isso não ficou claro foi porque as competições decidiam-se mais em alguns gabinetes do que no terreno de jogo.

A carreira da equipa na Liga dos Campeões e nas outras provas nacionais, perdidas apenas nos desempates por penáltis, atesta o desempenho muito positivo da nossa equipa profissional, que continua a ser a única com verdadeira dimensão internacional no futebol português.

Para a nova temporada, que já está em curso, pretendemos repetir a receita, sendo a conquista da Supertaça um excelente pronúncio para mais um ano de muito trabalho e dedicação.”

Este artigo foi publicado originalmente no SAPO Desporto


 

 

Seleção de sub-20 empata com Suíça na preparação para Mundial2019

Juventus perde recurso de interdição de setores do estádio e pena é agravada