Mundial'2018: Campanha de Portugal começou mal, mas acabou em grande

A campanha de Portugal para estar no Mundial de futebol de 2018 começou mal, com uma derrota na Suíça, mas terminou em ‘grande’, com a ‘vingança’ face aos helvéticos, na 10.ª e última jornada do Grupo B.

A 10 de outubro do ano passado, no Estádio da Luz, em Lisboa, Portugal bateu a Suíça por 2-0 e assegurou o apuramento direto para o próximo Campeonato do Mundo, naquela que será a sua sétima presença em fases finais, quinta consecutiva.

Portugal venceu a Grupo B com 27 pontos, os mesmos da Suíça, mas com vantagem no ‘goal average’ total, e foi mesmo a quarta seleção com mais pontos da zona europeia, ficando atrás da Alemanha, que fez 30, e da Espanha e Bélgica, ambas com 28.

A nível de golos, a seleção lusa também aparece no topo da lista das mais concretizadoras, com 32, atrás da Alemanha e Bélgica, que fizeram 43, e da Espanha, com 36.

A participação dos campeões europeus na fase de qualificação começou com uma derrota em Basileia, com a Suíça, por 2-0, a única do selecionador Fernando Santos em jogos oficiais, mas seguiram-se nove vitórias consecutivas, que permitiram festejar o apuramento direto.

Portugal contou com a valiosa ajuda de Cristiano Ronaldo, que marcou 15 golos, menos um do que o polaco Lewandowski (16 no Grupo E), que foi o melhor marcador da fase europeia.

A 06 de setembro de 2016, no primeiro jogo oficial depois de conquistar o Europeu de França e sem Cristiano Ronaldo, lesionado na final de Paris, a seleção lusa até entrou bem na partida com a Suíça, mas duas desatenções na primeira parte foram fatais e Breel Embolo e Mehmedi fizeram os golos da equipa da casa.

Um mês depois, em Aveiro, e já com Ronaldo, Portugal alcançou uma esperada goleada perante Andorra, por 6-0, com o avançado luso a marcar pela primeira vez quatro golos num só jogo com a camisola das ‘quinas’. Só Eusébio, Nuno Gomes e Pauleta tinham antes chegado ao ‘póquer’.

João Cancelo, no seu primeiro jogo oficial, também ajudou à goleada, que terminou com o primeiro golo de sempre de André Silva pela seleção principal.

Três dias volvidos, nova goleada por 6-0, desta vez perante as Ilhas Faroé, em Torshavn, com André Silva, aos 20 anos, a tornar-se no mais jovem jogador a marcar um ‘hat-trick’ pela equipa das ‘quinas’.

Num jogo de total domínio luso, Cristiano Ronaldo, João Moutinho e João Cancelo fecharam o resultado.

Em novembro, no último encontro de 2016, Portugal obteve nova goleada, desta vez no Estádio Algarve, perante a Letónia, por 4-1, com mais dois golos de Cristiano Ronaldo.

William Carvalho – aos 69 minutos, com o resultado em 1-1 – e Bruno Alves apontaram os outros golos lusos, enquanto o suplente Arturs Zjuzins faturou para os letões.

Em março de 2017, o ‘capitão’ da seleção nacional manteve o ‘vício’ dos golos e fez mais dois frente à Hungria, no triunfo por 3-0 no Estádio do Luz, alcançado a marca dos 70 como internacional ‘AA’.

Depois de iniciar a jogada do primeiro golo, apontado por André Silva, aos 32 minutos, o jogador do Real Madrid apontou o segundo aos 36, com um potente remate de fora da área, de onde também marcou o terceiro, de livre direto, aos 65.

Três meses depois, Ronaldo voltou a ‘bisar’, desta vez em Riga, perante a Letónia, no triunfo por 3-0, e fez a assistência para André Silva apontar o terceiro.

Após a inédita participação na Taça das Confederações, que terminou na terceira posição, Portugal voltou à fase de apuramento com mais uma esperada goleada, sobre as Ilhas Faroé, por 5-1, com novo ‘hat-trick’ de Ronaldo.

William Carvalho e Nelson Oliveira apontaram os outros tentos da seleção nacional, enquanto Rogbi Baldvinsson marcou o golo de honra dos forasteiros.

Numa das mais complicadas deslocações do grupo, Portugal foi à Hungria vencer por 1-0, com André Silva a marcar o único golo, na sequência de um passe de Ronaldo, já na segunda parte.

Difícil foi também a vitória por 2-0 em Andorra, com Ronaldo a ser novamente determinante, num encontro que iniciou no banco de suplentes, por estar em perigo de castigo – um amarelo tirava-o do jogo com a Suíça.

No complicado relvado sintético do Estádio Nacional da Andorra, o avançado foi lançado na segunda parte e fez o primeiro golo de Portugal, chegando aos 15 na qualificação. Perto do final André Silva confirmou a vitória, em jogada iniciada por Ronaldo.

Na última ronda, a seleção nacional venceu a Suíça, por 2-0, com um autogolo de Djourou e o nono tento de André Silva, e assegurou o primeiro lugar do agrupamento, numa fase de qualificação em que esteve sempre na perseguição aos helvéticos.

*Artigo publicado originalmente no dia 24 de maio

Este artigo foi publicado originalmente no SAPO Desporto


 

 

Mourinho: "Cristiano é um super-homem, se quiser pode jogar outro Mundial"

"Queda de Lopetegui não afeta o rendimento da seleção espanhola. Os jogadores são os mesmos"